Notícias

Confira ferramentas que ajudam o eleitor a buscar informações sobre candidatos

Por Vinicius Santos

Compartilhar

postado em 19/09/2018 11:07 / atualizado em 19/09/2018 11:10

Nas eleições de 2018, serão milhares de candidatos em todo o País disputando uma vaga tanto no Poder Executivo quanto no Poder Legislativo. Os eleitores deverão escolher, dentre tantas opções, em quem irão votar para a vaga de Presidente da República, a de Governador, vaga para dois Senadores, uma vaga para Deputado Federal, uma para Deputado Estadual (ou Distrital no caso específico do DF). Serão seis votos digitados na urna eletrônica no próximo dia 7 de outubro, primeiro turno das eleições.

Dentre tantas opções, como saber se o candidato da sua escolha é honesto? Como escolher bem? A resposta não é fácil e depende de boa vontade do eleitor e de querer pesquisar, buscar informações.

Na verdade, informação é a chave que fecha essa equação. A busca de informações por parte dos eleitores dará condições de construir um melhor conceito sobre cada candidato para, assim, poder exercer o seu direito/dever de votar de forma consciente.

Se informação é a resposta, buscá-la dá trabalho e leva tempo. As pessoas têm seus afazeres diários e não têm tempo para pesquisas, ainda mais para tantos cargos a serem ocupados no pleito de 2018.

Como forma de auxílio aos eleitores, foram desenvolvidos alguns aplicativos que podem ajudar bastante o cidadão interessado em pesquisar e conhecer a vida pregressa dos seus candidatos. São iniciativas com perfil de controle social e cidadania. Podemos citar alguns:

1. Vigie Aqui: Através do  plug-in Vigie Aqui é possível ficar informado sobre os políticos que pedem seu voto. Por meio dele é possível identificar pelo nome, em seu navegador, com uma tarja roxa os políticos que enfrentam problemas na Justiça.

 

Extensão promete destacar, em qualquer site, os nomes de políticos com pendências na Justiça (Foto: Reprodução/Internet)

Desenvolvido pelo Instituto Reclame Aqui, o projeto conta com 628 políticos em seu banco de dados, com base nas informações oficiais pulverizadas em diversas instâncias de tribunais regionais, estaduais e federais.

Acesse o site e baixe a extensão para o seu navegador.

2. Politize: É um startup criada em 2014 por membros da Global Shapers – uma rede de líderes associada ao Fórum Econômico Mundial – e mais conhecida por sua plataforma online, que oferece conteúdos gratuitos políticos e apartidários com uma linguagem fácil, concisa e didática.

 

Manual traz informações importantes do atual cenário político no Brasil. (Foto: Reprodução/Internet)

Entre o farto material do site, há um ‘guia do eleitor’, que aborda temas como o poder do voto consciente, o sistema político brasileiro e outras informações abundantes sobre o pleito de outubro.

Para conhecer o trabalho do startup, acesse o link aqui.

3. TSE Oficial: O portal digital do Tribunal Superior Eleitoral concentra a maior fonte de informações sobre as eleições. Registros de candidatura, declaração de bens, locais de votação e o mais importante: os planos de governo encontram-se disponíveis para qualquer cidadão.

 

Justiça Eleitoral oferece site com informações relevantes para uso do eleitor no pleito deste ano. (Foto: Reprodução/Internet)

Porém, diferentemente de algumas plataformas, não existe interatividade com o usuário, pois representa um arquivo de informações públicas e institucionais à disposição permanente da população.

Clique aqui para acessar o site do TSE.

4. Unidos Contra Corrupção: Com o apoio do Observatório Social do Brasil (OSB), Fundação Getúlio Vargas, Transparência Internacional Brasil e coordenada por uma coalizão de organizações e movimentos sem vínculos partidários, a plataforma Unidos Contra Corrupção, oferece um ambiente on-line para o eleitor buscar informações sobre a vida pregressa dos candidatos.

Desde agosto, o site categoriza todos os concorrentes à Câmara dos Deputados e ao Senado em três categorias: passado limpo, compromisso com a democracia e os que endossam as Novas Medidas Contra a Corrupção.

Segundo os organizadores, até o fim das eleições, o eleitorado brasileiro poderá conferir as candidaturas na plataforma e também seus status em relação aos critérios da campanha. A adesão é voluntária e a intenção da campanha é levar ao eleitorado informação confiável, clara e acessível sobre quem tem passado limpo e está efetivamente comprometida(o) com a luta contra a corrupção.

Os candidatos são identificados por coloração e elementos gráficos que deixarão claro seu passado jurídico e o comprometimento no combate a corrupção. (Foto Reprodução/Internet)

Depois das eleições os compromissos assumidos na plataforma online funcionarão como contratos públicos, os quais serão monitorados pelas organizações sociais que lideram a campanha Unidos Contra a Corrupção. Também a sociedade poderá contribuir mediante seu papel de fiscalização e cobrança da classe política. Esta não é, portanto, uma campanha que se encerra com as eleições. Após o pleito, quem estiver cadastrado na plataforma online passará, inclusive, a ser informado por e-mail sobre o passo a passo deste trabalho de acompanhamento e cobrança das(os) candidatas(os) eleitas(os).

Para aderir, os(as) interessados(as) devem acessar o site http://unidoscontraacorrupcao.org.br/ e preencher o formulário, ou diretamente pelo link app.unidoscontraacorrupcao.org.br.

5. Mapa nas Eleições: Criado pelo Movimento Mapa Educação, a campanha Mapa nas eleições foi idealizada para conscientizar o eleitor, com informações relevantes sobre problemas relacionados à educação e o papel dos políticos na educação.

Segundo o site a expectativa é unir educação e política com debates que respeitem outras opiniões e aceitem contrapontos expostos.

Site quer que todos os brasileiros tenham acesso às propostas dos candidatos sobre a educação. (Foto Reprodução/Internet)

Além disso, o Mapa tem núcleos de ativistas da educação em todos os estados que estão ligados nas eleições estaduais. Os voluntários realizam o papel de correspondentes regionais e indagando os candidatos estaduais sobre suas propostas no ramo da educação.

Para conhecer mais o trabalho do Mapa nas Eleições, acesse aqui.

6. Pardal: O Pardal pode ser utilizado para noticiar diversos tipos de infrações eleitorais, como as relativas à propaganda eleitoral, compra de votos, uso da máquina pública, crimes eleitorais e doações e gastos eleitorais. Além do aplicativo móvel, o Pardal tem uma interface web, que será disponibilizada nos sites dos Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) para envio e acompanhamento das notícias de irregularidades.

O aplicativo contribui para o combate à corrupção eleitoral. (Foto Luana Nova/NE10)

A versão 2018 do aplicativo Pardal, desenvolvido pela Justiça Eleitoral para uso gratuito em smartphones e tablets, já está disponível para download nas lojas virtuais Apple Store e Google Play.